Lua em Capricórnio

A Lua em Capricórnio é emoção que se mistura com terrenal seriedade. Sabemos que Saturno – quem rege os montes capricornianos – é o planeta do tudo conseguir. Rege o tempo e as sérias empreitadas.

A Lua, contudo, a risonha Lua é quem paira no céu e encanta os apaixonados. Dona do passado e dos idos encantos, dona do que no presente se nos comove enquanto lágrima. Quando ocupa os montes ásperos de Capricórnio, queda a Lua mais séria, dotada de mais mistério. Não deixa de ser água, não recusa a emoção e a lágrima: mas a converte, por meio de lento terrenal fluir em coisa mais grave: se converte em drama.

O drama de a tudo ter de enfrentar: ver as próprias emoções mais fluidas e doces em corajoso campo: aquele que foi dito a exaltação de Marte.

Sim, pois Capricórnio, para os antigos, é terreno de Guerra; as campanhas que saíram de Argos em direção à Tróia e dos os trabalhos e planos, 10 anos de extremado esforço: é assim que gregamente se compreendia o Signo de Saturno. E o que é nestes campos ter a Lua senão completo Dramaticismo?

Mais do que isto, a Cúspide entre Capricórnio e Aquário é conhecida como “Cúspide do Mistério e da Imaginação”, isto, pelo talento Aquariano de infindada imaginação somado a estruturação grave e profunda dos meandros Saturninos.

Assim, vê-se que esta Lua se permeia de Mistério, não daquele mistério denso do mais oculto de Escorpião, mas do mistério que quer se revelar com esforço: do mistério da metafísica, do implacável, da lógica e estrutura que permeia todas as coisas. Emocionar-se não com as aparências, mas emocionar-se com o inevitável, com o imenso porque é inevitável. Porque o real e implacável e nem por isto deve deixar de ser belo e matéria de comovida lágrima.

No que aos outros parece razão de sério aborrecimento, sabe o Capricorniano Lunar enxergar motivo de comoção, motivo de fraqueza, motivo de tênue lágrima. Tem esta Lua, com razão, a fama de dura e resistente; dizem-nos de emoções valentes, que quase nunca cedem. Isto só ocorre porém por serem capazes de verdadeira e profundamente se emocionar com justamente aquilo que é de tão grave seriedade que ninguém mais ousaria misturar suas emoções com tal matéria.

A séria existência do mundo, sua profundidade e suas consequências; a estes nativos parece algo tão duradouramente grande que merece que a parte mais frágil de seu ser lhe permeie, lhe dignifique e lhe engrandeça: afinal, se Saturno calca sempre os mais altos montes, a Lua quando está em Capricórnio confere, com doçura e afeto, uma nova dimensão ao que é mesmo grande.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *