Netuno

Será Netuno sonho, o que nos tira do chão? Gaieochos, que treme a Terra inteira, em seu epíteto na Teogonia. O inebriar da vida, pode ser de emoção, de alegria, de espanto – tudo o que inebria e nos faz sair de nosso chão é força de Netuno.

São as águas do sonho, as águas salgadas deitadas nos olhos de quem em intenso devanear. Quem está mediante seu influir tem força imensa no seu caminhar, não carece de enfrentar os mesquinhos obstáculos mundanos, não; o Saturnino com todo seu esforço se espanta com a leveza com que o Netuniano transpassa o que lhe vem à frente; não tem de nada deveras enfrentar, ele simplesmente não pisa este chão. Enquanto todos se arrastam na árdua e dificultosa Terra, ele vai calmo e avante navegando em seu próprio mar.

Ora, mas se parece desvario calcar o mundo-de-pedra por meio de mar, lembremo-nos que “tudo é recebido conforme o recipiente” – Este influído recebe tudo como sonho. Como o devaneio, o impossível – e será mesmo? Muitos dos que mais surpreendentemente já fizeram neste mundo traziam o tridente de Netuno a lhes guiar: sonharam, sonharam, sonharam e de tanto sonhar, já não se sabia mais de certo o que era mesmo água e o que novidade por chegar…

A água mutável de Netuno traz consigo a força de mudar as emoções; seu inebrio altera o sentimento do mundo;- e o que é o mundo se não o sentimento dele dele? Lição aos que desprezam o sonho: do sublime ao mais mesquinho e enfadonho: tudo em algum momento antes de ser, foi sonho.

São os pintores, músicos, profetas, arlequins, mímicos, circences, videntes, entusiasmados astrólogos os filhos de Netuno a povoar a Terra – além, é claro, dos muitos que, mediante remos ou velas, preferiram o caminho do mar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *