Planetas Retrógrados

O significado dos planetas retrógrados é assunto tão instigante quanto campo de diversificadas opiniões. Do ponto de vista do planeta Terra, de onde, supõe-se, nós que isto lemos habitamos, o movimento retrógrado sempre ocorre em relação ao Sol; basicamente, quando os planetas ficam do lado oposto ao Sol, a partir de algum ponto que sempre está entre os aspectos de Trina e de Oposição ao Sol, começa o movimento retrógrado. Isto, com exceção de Vênus e Mercúrio, que por nunca se distanciarem muito do Sol o movimento se dá de outra maneira. Ressaltemos também que a Lua e o próprio Sol, naturalmente, nunca ficam retrógrados.

Assim, devemos aceitar que a principal característica a ter seus efeitos analisada é justamente o movimento para trás; enquanto todos os planetas do Zodíaco caminham de Áries a Peixes; enquanto as próprias casas do Zodíaco são delineadas de maneira semelhante; eis que alguns planetas, por dado período, caminham no sentido contrário… A relação deste movimento com a posição frente ao Sol já abre uma primeira chave interpretativa: é a partir do significado do Sol, e das força planetária em relação ao Sol que soemos lhes compreender. Há de se ressaltar, porém, que há duas forças celestes de imensa importância cujo percurso natural é retrógrado: os nodos lunares, nosso Sul e nosso Norte, o Ketu e Rahu da tradição Indiana.

Ora, vemos assim que quase todos os planetas, quando numa posição de trina/oposição ao Sol movimentam-se temporariamente “ao inverso do comum”; ao mesmo tempo que os Nodos Lunares movimentam-se naturalmente nesta direção. A esta análise do movimento, se somarmos a posição em relação ao Sol, perceberemos que a Lua cheia sempre seria retrógrada se este astro estivesse sujeito a este tipo de movimento; isto é o que motiva a tradição Indiana a considerar os planetas retrógrados como especialmente fortes, posto que, nesta condição, aparecem muito mais brilhantes do que o comum(devemos lembrar que não só a Lua, mas todos os planetas têm seus brilhos devido ao reflexo da luz Solar).
Alguns dos sentidos comumente atribuídos aos retrógrados são:

1. Expressão mais individual e particular de sua energia.
2. Expressão mais introspectiva e criativa de sua energia.
3. Expressão mais rebelde de sua energia.
(Estas três primeiras são comuns na astrologia psicológica moderna)
4. Expressão fraca e pouco relevante.
5. Expressão forte e muito relevante. (Teoria Indiana)
6. Momento em que coisas que “ficaram por fazer” são postas em dia.

Esta última interpretação indica que durante o movimento retrógrado o planeta estaria dando um tempo para terminar, concluir ou colocar em dia fatos/situações cujo início já ocorreu mas que não foram totalmente terminados. Assim, quando o Planeta volta ao movimento normal novas situações voltam a surgir – ou, quando o Planeta passa, em movimento normal, pelo exato ponto em que iniciara o movimento retrógrado, o caminho está livre para novas situações/vivências/energias.

Devemos, contudo, ter atenção para que os planetas lentos ficam retrógrados boa parte do ano, de modo a que a probabilidade de um Mapa Natal ter 2 ou 3 planetas nesta situação é alta; muitos retrógrados ou nenhum já trata-se de rara situação.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *